A defesa dos Vikings: Melhor da NFL?

Mike Zimmer treinou várias defesas Top 10 em sua carreira, desde seu primeiro trabalho como coordenador defensivo em Dallas, no início dos anos 2000. Apenas uma vez – em 2003 – ele pode bravejar ter tido A melhor defesa da liga. Os Cowboys foram #1 em jardas cedidas e #2 em pontos permitidos naquele ano.

 

Ano passado, a defesa dos Vikings foi ranqueada como a #3 em jardas cedidas e a #6 em pontos permitidos – uma de seus melhores rankings desde 2003. Apenas em 2013 os Bengals foram um pouco melhores, terminando em #3 em jardas cedidas e #5 em pontuação permitida.

 

Começando a temporada de 2017, existem várias razões para que os Vikings tenham a melhor defesa da NFL. Aqui vão elas.

 

Eles não perderam muito

 

Primeiramente, os Vikings perderam muito pouco em termos de defensores do ano passado. Eu diria que Captain Munnerlyn foi a única significativa perda como Nickel CB, mas esta perda pode ter sido calculada, baseado em ter Terence Newman e Mackenzie Alexander como possíveis substitutos. Chad Greenway, que que aposentou, teve uma excelente carreira, mas não era mais um grande fator na defesa jogando em campo, nos últimos anos.

Todos os outros titulares retornaram do ano passado.

 

Jovens veteranos estão ficando melhores

 

A defesa dos Vikings tem vários jogadores no ápice de suas carreiras e entre os melhores jogadores de suas posições. Harrison Smith, Xavier Rhodes, Linval Joseph e Everson Griffen encabeçam a lista.

 

Mas além deste seleto grupo de jogadores, existem vários outros vorazes para entrar neste ranking. Danielle Hunter, Trae Waynes, Eric Kendricks e Anthony Barr estão no topo da lista. Hunter tem mostrado que ele pode ser uma estrela como DE. Barr tem sido um top LB, mas está buscando encontrar a forma após uma queda na temporada passada. Kendricks tem melhorado constantemente como LB e se este progresso continuar, deverá colocá-lo na lista nesta temporada. Mesmo Trae Waynes, quem teve um começo mais devagar em sua carreira como CB, após ser selecionado na primeira rodada, melhorou durante o ano passado e tem mostrado nos treinos até agora que ele pode ser titular e jogar em alto nível nesta temporada.

 

No geral, estes 2 grupos representam 8 das 12 posições na defesa (incluindo ambas as bases de LB & Nickel CB). Adicionando a possível titularidade de Terence Newman como Nickel CB neste ano, quem tem sido um dos melhores CB’s da liga nas últimas temporadas e que traz a conta para 9 de 12 posições sendo preenchidas por jogadores elites ou promissores chegando no nível.

 

As três posições remanescentes são DT, LB e SS. Andrew Sendejo, enquanto não sendo um top SS da liga, é pelo menos regular, se não levemente acima. Como DT, o possível titular desse ano é Datone Jones, escolhido na primeira rodada pelos Packers e usado como OLB, mas quem o técnico de linha defensiva dos Vikings Andre Patterson achou que seria melhor utilizado no interior da linha, onde jogava no College. Ainda deverá ser visto como Jones irá se sair na posição DT, mas considerando sua habilidade e histórico, não é esperar demais que ele seja pelo menos regular, talvez melhor dependendo de quão rápido as coisas comecem a se encaixar no seu retorno ao interior da linha. O LB base, que as vezes sai de campo nas situações de Slot CB, deverá ser preenchida por Edmond Robinson, Emmanuel Lamur ou Ben Gedeon. Relatórios prévios sugerem que Robinson e Gedeon são os principais nomes. Enquanto nenhum tenha a experiência de Greenway, ambos são mais jovens, saudáveis e mais atléticos que Greenway tem sido nos últimos anos. Eu ficaria surpreso se algum deles se torne um declínio, ao invés de uma ascensão, sobre as performances de Greenway nos anos finais. De qualquer modo, a posição se faz presente em campo apenas um terço do tempo, dada a frequência das defesas jogando em Nickel nos dias de hoje.

 

O banco também está melhorando

 

Além da muito talentosa e bem montada defesa titular que os Vikings trazem a campo, a qualidade do banco parece estar melhorando também. Isto é importante devido a inevitável quantidade de lesões que acontecem ao longo da temporada e tendo uma menor queda de rendimento dos jogadores do banco, ajuda a unidade enfrentando lesões sem uma grande queda no desempenho. Caras como Mackenzie Alexander, Jayron Kearse, Anthony Harris, Kentrell Brothers, Brian Robison e vários outros de linha defensiva, podem prover reposições de qualidade na rotação ou pegarem algum lugar sem comprometer o desempenho geral da equipe. Alexander pode até começar jogos como Slot CB, dependendo de seu desenvolvimento em campo e na pré-temporada. De qualquer modo o grupo de DB parece melhor do que no ano passado.

 

Trocas trazem melhorias

 

Onde haverá trocas nas posições titulares neste ano, elas podem prover ser melhorias durante o decorrer do ano. Eu mencionei LB como provável melhoria com a aposentadoria de Chad Greenway, o LE também parecer seguir o caminho, com Danielle Hunter repondo Brian Robison na titularidade. Tem também o DT, Shariff Floyd basicamente perdeu toda a temporada ano passado e foi substituído por Tom Johnson e Shamar Stephen – nenhum destes jogou relativamente bem. Isso deixa um potencial para melhora, com Datone Jones e vários outros competindo por snaps na posição.

 

Isso deixa de fora CB. Presumivelmente se Trae Waynes ganhar a titularidade aqui, ele terá que vencer Terence Newamn. Isso sugere que ele será uma melhora. A equipe de técnicos dos Vikings pode pensar que Waynes seja mais forte jogando nas laterais do que Alexander no slot e mover Newman para o slot por esta razão. Ambos os casos, a melhora de Waynes – que jogou 581 snaps na temporada passada – apenas 200 a menos que Rhodes e Newman – irá ajudar a melhorar a secundária como um todo. Eu suspeito que Newman possa ser o titular como Nickel CB neste ano, permitindo ao veterano de 38 anos ter menos snaps e ajudando a trazer Alexander. Por melhor que tenham sido os Vikings na posição de CB no ano passado, é difícil imaginar ele fora do campo por muito tempo.

 

Sem muitos “descasamentos” para os ataques explorarem

 

Quando você tem a combinação de ser forte em várias posições e fraco em nenhuma delas, isso deixa poucas brechas para fáceis descasamentos para o ataque explorar. Um bom QB sabe onde ele irá lançar a bola nas quartas e quintas-feiras quando existirem óbvios descasamentos na secundária. Tirando isso do jogo, significa tirar as jogadas fáceis que os ataques gostam de fazer e tornar o trabalho mais difícil ao adversário. Ao mesmo tempo, eles precisam defender suas fraquezas, o que pode gerar estresse.

 

E estresse leva o ataque a erros. Forçar jogadas e passes ruins, sacks, TFL’s e turnovers. Mas apenas o fato de tirar as jogadas fáceis, não permitindo nenhum passe completo ou corridas simples e sendo possível desafiar cada jogador, todas as descidas, torna ainda mais difícil para o ataque lidar com a bola de forma efetiva – forçando eles a difíceis conversões e distantes situações que pressionam o time.

 

Os Vikings se encontram em posição no início da temporada – exatamente onde estavam no ano passado.

 

Competidores enfrentando perdas

 

O outro fator influenciando os Vikings a chegarem em #1 no ranking das defesas é o que tem acontecido com seus principais competidores – as outras defesas top da liga. Denver, Seattle, Houston e New England, por exemplo. Destas defesas, todas tem enfrentando pelo menos uma perda chave entrando nesta temporada, com exceção de Seattle. Houston teve perdas na secundária, enquanto Denver e New England tiveram perdas na frente. New England fez outras trocas, mas é difícil de dizer qual será o impacto em sua performance. Os jogadores chave de Seattle na defesa, estão começando a ficar do lado errado dos 30 anos, então existe margem para declínio do rendimento.

 

No geral, os Vikings têm a maior continuidade entre as principais defesas iniciando a temporada e idade e jogadores chave não serão uma preocupação.

 

Inovações

 

O último aspecto de performance defensiva é difícil de avaliar, mas certamente quando se trata de técnicos, a defesa dos Vikings é bem treinada como qualquer outra da liga. Mike Zimmer, Andre Patterson e Jerry Gray em particular são muito bem-conceituados na NFL.

 

Eles também parecem estar adicionando inovações a sua defesa neste ano, que podem ajudar a criar novos descasamentos. Eles têm experimentado trocar Everson Griffen e Danielle Hunter nas posições de DE, usando mais pacotes na linha defensiva, usando Terence Newman como safety, entre outras coisas. O fato de todo o elenco estar de acordo com sistema por muitos anos, torna possível inovar e incorporar novas caras, necessárias para manter as coisas atualizadas e deixar os ataques desbalanceados.

 

Resumo

 

A defesa dos Vikings tem está no topo nos últimos anos e as principais posições tem sido exercidas por jogadores que trabalham no mais alto nível e em seus ápices da carreira. Este ano, com caras como Danielle Hunter, Erick Kendricks, Anthony Barr e Trae Waynes almejando chegar em suas melhores formas, a defesa dos Vikings pode subir para outro nível.

Compartilhar no Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

MVP – Minnesota Vikings Podcast 055 – Vikings NFL Draft 2019

02.05.2019

1/5
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Vikings FA é um site sobre o Minnesota Vikings em português sem qualquer vínculo com o time da NFL. Toda informação contida no site é de responsabilidade do criador deste ou, quando traduzido, do autor de determinado texto e não reflete qualquer opinião do Minnesota Vikings, da NFL, ou qualquer outro time da liga.

© 2017-2019 por VikingsFA.