Preview jogo 08 – Temporada Regular: Minnesota Vikings x New Orleans Saints

É isso aí, chegou a hora de uma das partidas mais aguardadas da temporada, Minnesota Vikings x New Orleans Saints, no Sunday Night Football (28). O encontro das equipes será no mesmo local (U.S. Bank Stadium), que jogaram pela última vez, naquela partida surreal de playoffs decidida no último lance e já com o relógio zerado, em outras palavras, “O milagre de Minneapolis”.

Voltando para a temporada atual, para os Vikings essa é uma partida essencial para permanecer na liderança da NFC Norte, e principalmente para mostrar que a boa fase não foi um acaso, e sim porque os Vikings do ano anterior estão de volta.

Em contrapartida, para os Saints, que estão muito bem na temporada (5-1) e lideram a NFC Sul, essa partida deve ter tons de revanche por conta do último jogo entre as equipes. Os Vikings vêm de três vitórias seguidas, e em sua melhor fase até o momento. Ataque aéreo muito seguro, jogo terrestre decidindo partidas, defesa crescendo demais.

Kirk Cousins é o terceiro da liga em jardas lançadas, Adam Thielen é o primeiro da liga em jardas recebidas, Danielle Hunter é o primeiro da liga em sacks, e após a última partida, Latavius Murray se tornou o terceiro da liga em corridas para mais de 20 jardas. São excelentes números e que mostram a qualidade individual desses jogadores.

Mas os Saints não ficam nenhum pouco atrás, e após uma surpreendente derrota na primeira rodada para o Tampa Bay Buccaneers, eles estão invictos, e agora terão contra os Vikings seu maior desafio na temporada até então. Do lado dos Saints, Drew Brees vem fazendo uma temporada fantástica até então e lidera a liga em percentual de passes completados e em pass rating.

Um ponto interessante no confronto, é que, ainda com a camisa do Washington Redskins, nosso Captain Kirk, já havia enfrentado os Saints por duas oportunidades, e com os seguintes números: 42 passes completos de 57 tentados (73.7%), 646 jardas aéreas, 7 touchdowns e nenhuma interceptação, com um excelente rating médio de 150.3, inclusive um jogo perfeito com rating de 158.3 em 2015. Vamos torcer para que essa história seja mantida para o próximo domingo. Outro ponto bacana é que essa partida marca a volta de Teddy Bridgewater ao U.S. Bank Stadium, dessa vez como QB reserva dos Saints. 

 

 

Sobre o adversário: New Orleans Saints


O New Orleans Saints foi fundado em 1967, o time foi criado na mesma data do feriado de todos os Santos, daí a origem de seu nome, um feriado comemorado pela população predominantemente católica da cidade de New Orleans.

Os primeiros vinte anos da equipe foram bastante complicados, e somente em 1987 eles terminaram a temporada com uma campanha de mais vitórias do que derrotas (12-3), jogando assim seu primeiro jogo de playoffs de sua história. O jogo em questão foi contra os Vikings, e acabaram sendo massacrados por 44-10.

Após essa derrota, os Saints ainda voltariam aos playoffs por mais três vezes seguidas, entre 1989 e 1991, sendo derrotados em todas elas. Somente em 2000, os Saints conquistaram sua primeira vitória numa pós-temporada, após excelente partida eles venceram os até então, St. Louis Rams, por 31 a 28. E na partida seguinte, novamente foram derrotados pelos Vikings, 34 a 16 em mais um jogo fácil para a equipe de Minneapolis, e com uma grande rivalidade se formando.

 

Em 2005 o furacão Katrina atingiu os EUA e destruiu boa parte de New Orleans. O estádio dos Saints, o Superdome, acabou servindo como casa temporária para diversas famílias que perderam tudo devido ao desastre natural, por conta deste episódio o vínculo entre cidadãos e a equipe aumentou demais, e o time se tornou cada vez mais uma paixão para os moradores da região. Neste ano o time precisou jogar em três estádios diferentes por não poder contar com o Superdome, foram eles: Tiger Stadium (estádio da equipe de college do LSU Tigers), Alamodome (centro esportivo de San Antonio, Texas) e Giants Stadium (estádio que já abrigou Giants e Jets até 2009).

Em 2006 houve uma guinada na direção da história da franquia, a chegada de Drew Brees, que após uma recusa num aumento salarial por sua equipe até então, o San Diego Chargers (que já estava de olho em draftar o jovem Philip Rivers), o fez visitar outras equipes para conseguir assinar um contrato, dentre elas o Miami Dolphins e o New Orleans Saints, ao qual acabou ficando com o jogador.

De lá para cá a história dos Saints mudou, e logo em seu primeiro ano já levou a equipe aos playoffs, perdendo o título da conferência para o Chicago Bears, em mais uma sapecada, 39 a 14.

Depois disso os Saints só chegaram aos playoffs em 2009, mas dessa vez a história seria outra, após terminar a temporada com uma campanha de 13-3, eles massacraram o Arizona Cardinals nos Playoffs por 45 a 14, e no jogo do título da NFC encontrariam seu velho conhecido de pós-temporada, os Vikings, mas dessa vez saíram com a vitória (infelizmente), 21 a 28, numa partida incrível decidida nas últimas jogadas e logo após um turnover de Brett Favre, QB dos Vikings na época.

Na grande final, eles enfrentaram o Indianapolis Colts, e venceram com muitos méritos, 31 a 17, consagrando-se assim os campeões do Super Bowl XLIV, pela primeira e única vez na história da franquia.

Esses playoffs de 2009 foram bastante polêmicos e inclusive o técnico dos Saints, Sean Payton, foi punido por um ano da liga, por estar envolvido em um esquema de bônus financeiro dado aos seus jogadores de defesa para que machucassem os adversários, inclusive nós sofremos muito com essa partida, pois Brett Favre claramente sofreu várias pancadas desnecessárias e por pouco não ficou de fora do final da partida (a rivalidade contra os Saints aumentou ainda mais após essas denúncias).

Após o título de Super Bowl, os Saints ainda participaram dos playoffs por mais 4 vezes, e desde que Brees assumiu a vaga de QB da equipe eles sempre estão apontados como um dos melhores ataques da liga. A última aparição deles na pós-temporada não foi nada agradável, pois terminou com aquele touchdown épico na ligação entre Case Keenum e Steffon Diggs, e que já foi citado acima... algo que deve fazer o torcedor da Louisiana ter pesadelos até hoje..

 

 

Match Up do jogo: Drew Brees x Secundária dos Vikings

 

Nesta partida de SNF, matchups é o que não irá faltar. Lattimore x Diggs (por motivos óbvios), jogo terrestre dos Vikings x Defesa terrestre dos Saints, DL dos Saints x OL dos Vikings, Thielen x Secundária dos Saints, e etc.

Mas o principal matchup (principalmente para nós torcedores dos Vikings), será do QB Drew Brees, contra nossa secundária. Isso porque para que exista chance de vitória neste domingo, a chave para isso é parar (ou tentar), Brees.

Nossa “sorte”, é que iremos enfrentar os Saints após três vitórias convincentes e com nossa secundária jogando muito bem. Nas últimas duas partidas contra QB’s novatos, nossa secundária cedeu apenas um touchdown e conseguiu 4 interceptações, com uma média de 223 jardas totais e 52% dos passes completados, culminando para um passer rating de 55.9.

Números excelentes, porém, Brees está longe de cometer os mesmos erros que cometeram Josh Rosen e Sam Darnold, e para que exista sucesso do lado de Minnesota, Xavier Rhodes que ainda é dúvida precisa ir para o campo, ele será fundamental marcando o ótimo WR, Michael Thomas, e Harrison Smith precisa continuar a jogar em alto nível como aconteceu nas últimas partidas.

Brees é um QB diferenciado, e um dos melhores de toda a história da NFL, e vai precisar do melhor de cada um dos jogadores da secundária dos Vikings para que consigamos pará-lo. No último confronto entre as equipes, valido pelos playoffs da temporada passada, Brees lançou para 294 jardas, acertando 25 de 40 passes tentados, para 3 touchdowns e 2 interceptações.

 

 

Pontos fortes Saints: 77.3% de passes completados, passer rating de 121.6, 13 touchdowns e nenhuma interceptação. Se o campeonato terminasse hoje, Drew Brees seria com certeza (ao lado de Adam Thielen, por que não?!), o principal candidato ao título de MVP da temporada.

Brees pode estar com 39 anos de idade e sem a mesma mobilidade de antes (que é quase imperceptível), mas ele vive uma de suas melhores fases, vem fazendo uma temporada histórica, e enquanto não entra para o clube dos quarenta, ele entrou para outro clube, o dos jogadores com 500 touchdowns na carreira, ao lado das lendas, Brett Favre, Peyton Manning e Tom Brady. Agora na última semana ele aproveitou para entrar para mais um clube, o conhecido como “All 32 Club”, que são os jogadores que já venceram todas as 32 equipes da liga.

Algo importante a se destacar é que Brees enfrentou até então defesas como a dos Bucs, e dos Giants, que são algumas das piores defesas da liga. Obviamente que ele tem potencial e desde 2001 vem provando que pode destruir qualquer defesa adversária, porém, esperamos que contra os Vikings ele tenha mais dificuldades do que têm enfrentado até aqui.

 

Pontos fracos Saints: Os Saints tem um ataque fortíssimo, um time de especialistas seguro, e uma excelente defesa contra o jogo corrido em seu front-seven. Porém, vem sofrendo demais com sua secundária. Não atoa eles adquiram nesta terça-feira (23), o CB, Eli Apple, que chega do New York Giants em troca de duas escolhas de Draft para competir com os atuais titulares na posição, Marshon Lattimore e Ken Crawley.

Lattimore que ano passado teve um ano quase que espetacular como novato (se não fosse pela falha no Minneapolis Miracle), não vem fazendo um segundo ano conforme era esperado, assim como seu companheiro, Crawley.

A secundária dos Saints é a quinta que mais deixa os QB’s adversários completarem seus passes (69%), é a segunda pior equipe das que já fizeram uma rodada de bye em totais de jardas aéreas (1.762), a nona que mais cedeu touchdowns (13), a pior em % de first downs cedidos (42.7) e está empatado na terceira colocação dentre as que menos interceptou o QB adversário (2).

Esses são péssimos números para a equipe, e ótimos para nós, visto que contamos com Kirk Cousins, Adam Thielen e Steffon Diggs.

 

Pontos fortes Vikings: Três boas apresentações de nossa defesa, e ótimas vitórias em sequência, coincidência? Claro que não.

De nada adianta fazer 31 pontos e levar 38 (como contra os Rams). Até a quarta semana a média de pontos sofridos por nossa defesa era de 27.5, de lá para cá, a média caiu para 18.3 (sem contar os pontos decorrentes de turnovers ofensivos).

Essa melhora não é surpresa, e aconteceu porque algumas das peças chaves da equipe voltaram a jogar no nível que se espera delas, como Xavier Rhodes e Harrison Smith.

Outro ponto fundamental e que estão sendo gratas surpresas, são os jogadores que estão entrando nas rotações ou substituindo jogadores contundidos, e fazendo também um excelente trabalho, Jayron Kearse, George Iloka, Stephen Weatherly e Jaleel Johnson, por exemplo.

Essa defesa dos Vikings já enfrentou Jimmy Garoppolo, Aaron Rodgers, Jared Goff e Carson Wentz, e agora é a vez de tentar segurar Drew Brees.

 

Pontos fracos Vikings: Por mais que nosso jogo corrido tenha entrado e muito bem nas últimas partidas (principalmente contra Cardinals e Jets), agora é a hora de um verdadeiro teste.

A defesa dos Saints pode não ser uma das melhores (na verdade está muito longe disso), mas contra o jogo corrido eles vêm se sobressaindo, e são a melhor defesa da liga neste quesito, cedendo apenas 434 jardas até então.

O RB que mais longe chegou em jardas contra a defesa dos Saints foi, Peyton Barber, na partida de estreia da temporada, terminando o jogo com apenas 69 jardas em 19 tentativas. Após isso, nenhum outro jogador da posição chegou a sequer se aproximar das 50 jardas terrestres, impressionante.

Vale lembrar que muito provavelmente nosso RB titular, Dalvin Cook, não irá para o jogo ainda se recuperando de lesão, e deve assim então perder sua 4° partida seguida na temporada. Sem Cook, o trabalho duro vai ficar novamente com Latavius Murray, que vem numa ótima ascensão, seguido pelos novatos Roc Thomas e Mike Boone.

 

 

Jogadores contundidos:

 

New Orleans Saints:
Out (Fora): Mitchell Loewen (DT)

Doubtful (Duvidoso): Jermon Bushrod (OT),

Questionable (Questionável): Taylor Stallworth (DT), Craig Robertson (LB), Cameron Meredith (WR), Terron Armstead (OT)

 

Minnesota Vikings:
Out (Fora): Dalvin Cook (RB), Andrew Sendejo (S), Anthony Barr (LB), Tom Coptom (OG)

Doubtful (Duvidoso): Xavier Rhodes (CB)
Questionable (Questionável): Riley Reiff (OT), Linval Joseph (NT)

 

 

Para ficar de olho: 

 

Adam Thielen – Thielen pode neste domingo se igualar a Calvin Johnson (lendário WR do Detroit Lions), como únicos recebedores a completarem 8 partidas seguidas com pelo menos 100 jardas de recepção. O jogador vem em sua melhor fase, é o líder em jardas recebidas da NFL com 822 jardas, também é o líder em recepções (com 67) e em recepções para first down (com 43), além de ser o sexto em recepções para mais de 20 jardas (8) e sétimo em touchdowns recebidos (5).

Não é à toa que está sendo considerado por muitos como o melhor jogador da posição na atualidade, e ao lado de Diggs formam hoje a melhor dupla de WR’s da liga.

 

Kirk Cousins – Mais uma vez aqui, Captain Kirk também vem fazendo uma temporada de estreia sensacional, e se quisermos que Thielen quebre os recordes de Calvin Johnson ou de Marvin Harrison, as boas atuações de Cousins são decisivas para tal.

E quanto a isso parece que não temos com o que nos preocupar, Cousins é o terceiro da liga em passes (com 2.162), sétimo da liga em touchdowns (com 14) e um dos QB’s menos interceptados até então (3), além de contar com um ótimo pass rating de 101.8.

Cousins não fez uma de suas melhores partidas na semana passada contra os Jets, ele jogou na maior parte do tempo contra o vento (e que ventania!), mas mesmo assim conseguiu terminar o jogo com 62% dos passes completos, para 241 jardas e dois touchdowns.

Agora contra uma secundária bastante contestada e jogando em casa, esperamos que ele tenha mais uma ótima partida e possa nos ajudar com a vitória tão esperada.

Aliás, vamos ver qual será o discurso pré-jogo de Cousins, com certeza será de arrepiar!

 

Harrison Smith – Esse é um jogador que é mais do que fundamental para nossa defesa e que realmente não vinha jogando bem.

Mas nas últimas três partidas foram 16 tackles, 1 sack, 3 passes desviados e uma interceptação. Além de muita pressão no QB adversário e ótimas marcações, uma ótima notícia.

Smith é um dos poucos jogadores na liga que realmente podem incomodar um QB como Brees, e sua inteligência para a leitura das jogadas adversárias pode ser decisiva para o confronto deste domingo.

 

Palpite do redator:

 

Vikings 30 x 27 Saints

 

 

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Redator VikingsFA: Gabriel Brandino  

Tags:

Compartilhar no Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

MVP – Minnesota Vikings Podcast 055 – Vikings NFL Draft 2019

02.05.2019

1/5
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Vikings FA é um site sobre o Minnesota Vikings em português sem qualquer vínculo com o time da NFL. Toda informação contida no site é de responsabilidade do criador deste ou, quando traduzido, do autor de determinado texto e não reflete qualquer opinião do Minnesota Vikings, da NFL, ou qualquer outro time da liga.

© 2017-2019 por VikingsFA.