Preview jogo 09 – Temporada Regular: Minnesota Vikings x Detroit Lions

Mais um clássico chegando, e dessa vez ainda mais decisivo do que nunca.

Infelizmente viemos de uma partida para esquecer, não tanto pelo jogo em si, mas pelos erros e pelo resultado final. Derrota para o New Orleans Saints por 30 a 20 jogando em casa, e contra um rival direto na luta pelos Playoffs.

Tudo bem que tivemos bons momentos como a volta de Everson Griffen (sensacional ver ele de volta em campo), a interceptação de Harrison Smith, ou até mesmo mais uma partida para mais de 100 jardas de nosso menino Adam Thielen... mas os turnovers, ah os turnovers!!!

Tivemos jogos complicados, e sem desmerecer nenhum adversário, mas o principal objetivo é vencer nossos defeitos, para depois vencer as partidas. Contra os Packers não vencemos por conta dos erros de FG, contra os Bills sofremos um apagão inacreditável, contra os Rams nossa defesa fez uma de suas piores exibições nos últimos anos, e agora contra os Saints sofremos 14 pontos que foram resultados de turnovers ofensivos.

Neste domingo vamos ter uma dessas partidas que é vencer ou vencer, não existe a possibilidade de pensar em derrota. Até porque, depois dessa partida nós iremos enfrentar os líderes da NFC North, o Chicago Bears, na sequência vamos receber os Packers, e depois vamos atravessas os EUA indo de Foxborough (New England Patriots), até Seattle (Seahawks).

Os Lions são o último colocado da divisão, com 3-4, e mesclam partidas muito boas, como contra os Packers, ou contra os Patriots, com partidas pífias, como a desastrosa estreia contra o New York Jets, com direito a 4 interceptações de Stafford e 48 pontos sofridos, ou contra a partida deste último domingo contra o Seahawks onde o jogo foi completamente dominado no segundo quarto.

Vale lembrar que os Lions não contam mais com Golden Tate, que foi trocado junto ao Philadelphia Eagles neste último dia de trocas da temporada 2018.

Os Vikings não vão mais ter vida fácil, e se quisermos chegar ao tão sonhado Super Bowl, agora é a hora de mostrar para o que viemos. 

 

 

Sobre o adversário: Detroit Lions


O Detroit Lions foi fundado em 1929, originalmente na cidade de Portsmouth, Ohio. Na época eram de Portsmouth Spartans.

A equipe se juntou a NFL em 1930, e mesmo com bons resultados a cidade de Portsmouth não tinha tamanho nenhum para conseguir segurar uma equipe em ascensão na NFL, e em 1934 um grupo de executivos liderados por George Richards (dono da WJR, famosa rede de radiodifusão de Detroit) comprou os Spartans e os levaram até Detroit.

 

Assim então a equipe alterou seu nome de Spartans, para Lions, pois como Richards havia dito, o leão era o rei da selva, assim como ele pretendia que o Detroit Lions se tornasse os reis da NFL.

Logo em seu segundo ano na nova cidade a equipe chegou em seu primeiro título da NFL, em 1935. O time venceu e venceu bem o atual campeão da liga, New York Giants, por 26 a 7, com quatro touchdowns corridos de quatro jogadores diferentes.

 

A próxima conquista dos Lions chegou apenas nos anos 50, em 1952 eles enfrentaram o Cleveland Browns e venceram por 17 a 7. Em 1953 os Browns tiveram a chance de uma revanche, porém, foram novamente derrotados, dessa vez por 17 a 16, placar que foi consolidado no último quarto com um passe de 33 jardas do QB Bobby Layne.

 

As duas equipes se enfrentaram novamente no ano seguinte (1954), e dessa vez não deu para o time de Detroit, 56 a 10 para os Browns, num massacre histórico. Em 1957 os Lions conquistaram o último título da franquia, e novamente contra os Browns, devolvendo a goleada de três ano atrás, 59 a 14. Esse último título dos Lions em 57 faz da equipe a segunda na maior seca de todas as 32 equipes da liga atualmente, apenas na frente do Arizona Cardinals.

 

Após a era Super Bowl o time passou por maus bocados e ficou no limbo da liga, fazendo diversas temporadas com mais derrotas do que vitórias.Apenas em 1989 a história dos Lions começou a melhorar, isso porque um dos maiores RB’s da história da NFL havia sido draftado na terceira escolha geral daquele ano, Barry Sanders.

 

Sanders correu para mais de 1.100 jardas em todas as suas dez temporadas com a equipe, foi para o Pro Bowl em todos os seus anos na liga, foi o MVP da temporada de 1997, é o líder em jardas numa mesma temporada, 2.053 (recorde que quase foi quebrado pelo Adrian Peterson), além de outros diversos recordes e números impressionantes.

E com um jogador desses obviamente que a equipe voltou a ser uma das grandes da liga, e foram aos Playoffs por vários anos seguidos, até que Sanders se aposentou.

Sem Sanders e sem um grande elenco, os Lions fizeram uma das piores campanhas da história da NFL em 2008, sendo derrotados em todas as partidas.

Com a primeira escolha geral do draft do ano seguinte, eles selecionaram Matthew Stafford, que é seu atual QB, e junto com o lendário WR, Calvin “Megatron” Johnson até conseguiram fazer algumas boas temporadas, mas nada que transformasse a equipe numa potência.

 

Hoje, sem Megatron, a equipe aposta cada vez mais em seu já experiente QB (Stafford), para que consigam enfim sair da seca que a equipe se encontra.

 

 

Match Up do jogo: OL dos Vikings x DL dos Lions

 

A linha defensiva dos Lions já não era das melhores nos últimos anos, e com a saída de Ndamukong Suh, ela ficou ainda pior.

Este ano eles estão entre as 8 defesas que já cederam mais de 1.000 jardas terrestres na liga, a pior cedendo corridas acima de 40 jardas (4) e uma das que menos forçou fumbles (2). Das 7 partidas disputadas pela equipe, 4 RB’s passaram das 100 jardas contra eles.

Em contrapartida, nós não temos uma linha ofensiva que agrade aos olhos, e nem estamos com o melhor dos jogos corridos (por mais que estejamos sem Dalvin Cook, e Latavius Murray esteja melhorando).

Apenas na semana 6 passamos das 100 jardas terrestres com Murray, e Cousins ainda não passou nenhuma rodada sem sofrer um sack pelo menos.

A batalha nas trincheiras será fundamental, e quem vencer esta disputa, provavelmente levará a guerra.

 

 

Pontos fortes Lions: Matthew Stafford já é um QB veterano e todos sabem que ele nunca estará no nível dos “elites” da liga e nem nunca vingou conforme todos esperavam, porém, ele sempre foi e sempre será um dos grandes ídolos da franquia e o queridinho de Martha Firestone Ford (proprietária da franquia).

Além disso, todos sabem que ele é sim acima da média, e pode fazer ótimas partidas. Ele tem até o momento 1912 jardas lançadas, 14 touchdowns e um rating de 98.5.

Este ano nossa defesa já se acostumou a enfrentar bons QB’s (Rodgers, Goff, Wentz, Brees), e no próximo final de semana terá mais um grande desafio pela frente.

 

Ponto fraco Lions: Não é só a linha defensiva dos Lions que tem problemas, a secundária deles também enfrenta várias dificuldades.

Nas últimas quatro partidas por exemplo, pelo menos um WR do time adversário conseguiu chegar as 80 jardas e um touchdown. Além disso, nestes jogos foram 10 touchdowns e nenhuma interceptação para os QB’s adversários, com um rating médio de 124.9 (inclusive um rating perfeito de 158.3 para Russell Wilson no último domingo).

Essa será a chance ideal para nosso ataque se redimir das falhas nas últimas partidas e conquistar bons números.

 

Pontos fortes Vikings: Mais uma excelente partida de nossa defesa, independentemente do resultado.

Foram 30 pontos sofridos ao todo, porém, 14 deles resultantes de turnovers cedidos pelo nosso ataque. Além disso, Drew Brees foi limitado em 120 jardas (pior marca de sua carreira desde 2005), um touchdown e uma interceptação, e seu segundo pior rating na temporada, 84.8. Isso sem contar com vários jogadores titulares, entre eles, Xavier Rhodes, Anthony Barr e Andrew Sendejo.

Depois das ótimas quatro últimas atuações, nossa defesa já é uma das que mais força fumbles, uma das melhores contra o jogo terrestre e a melhor em barrar tentativas de terceira descida. Isso tudo enfrentando nas últimas semanas Philadelphia Eagles, e agora os Saints.

 

Pontos fracos Vikings: Cousins pode ser um dos QB’s com mais touchdowns e jardas, Thielen pode continuar batendo recordes e podemos continuar a pontuar. Mas um turnover pode custar caro, e foi isso o que aconteceu na última partida.

E não apenas um turnover, mas as faltas de atenção do ataque estão frequentes, erros nos bloqueios da OL, demora na leitura da defesa e fumbles sofridos de Cousins, perdas de jardas nas corridas, e etc.

Nosso ataque que desde o início da temporada era o grande ponto forte dessa equipe até então, foi o grande responsável pela derrota no último domingo. Para se ter uma ideia, perto do fim do 2° quarto nós estávamos perto de redzone, com chances de pontuar e iríamos receber a bola depois do intervalo, muitos (como eu) imaginávamos devolver a bola para os Saints com um placar de 27 a 10, mas na verdade ao final do 3° período o placar estava 27 a 13, mas para eles!

E ainda mais agora que nossa defesa finalmente voltou a jogar num alto nível, precisamos que Cousins e companhia voltem a jogar tudo o que sabem para equilibrar as coisas e para que sejamos novamente um dos favoritos ao SB.

 

 

Jogadores contundidos:

 

Detroit Lions:
Out (Fora): -

Doubtful (Duvidoso): Jalen Reeves-Maybin (LB),

Questionable (Questionável): Ezekiel Ansah (DE), T.J.Lang (OG), Darius Slay (CB)

 

Minnesota Vikings:
Out (Fora): Roc Thomas (RB), Anthony Barr (LB), Tom Comptom (OG)

Doubtful (Duvidoso): -

Questionable (Questionável): Riley Reiff (OT), Andrew Sendejo (S), Dalvin Cook (RB), Xavier Rhodes (CB), Stefon Diggs (WR)

 

 

Para ficar de olho: 

 

Adam Thielen – Thielen merece tudo o que está vivendo. O garoto nascido em Detroit Lakes, e sempre torcedor das equipes de Minnesota fez história mais uma vez, e se tornou ao lado da lenda, Calvin Johnson, o jogador com mais partidas seguidas para mais de 100 jardas aéreas.

E agora ele irá jogar contra o próprio Lions de Johnson, para tentar quebrar seu recorde e se isolar como único a conquistar tal feito.

Além disso, é incrível como ele têm evoluído e mostra cada vez mais segurança dentro de campo, tudo bem que ele sofreu um fumble decisivo contra os Saints, acontece (infelizmente), mas isso não apaga a temporada mágica que ele vem fazendo.

Contra os Lions a certeza é, joga na direção de Thielen e vamos torcer!

 

Everson Griffen – Como é bom ver nosso capitão em campo e saudável novamente.

Griffen estava desde a semana 3 afastado por uma série de complicações pessoais e psicológicas (que devem continuar a ser tratadas), porém, ao que tudo indica ele está bem, e apto para comandar a defesa em definitivo.

Sua partida não foi das melhores, mas sua qualidade é inquestionável, e ao lado de Danielle Hunter (que teve sua sequência de sacks encerrada no último domingo), ele promete aterrorizar os ataques adversários.

Esperamos que Griffen volte a jogar tudo o que sabe, e muito mais que isso, que ele possa enfim ficar saudável e em paz novamente.

 

Kyle Rudoph – Rudolph sempre foi uma grande ameaça no ataque dos Vikings, e é um dos melhores TE’s da atualidade na liga, porém, não está fazendo um grande ano e vem devendo um pouco.

Entretanto, ele gosta bastante de jogar contra os Lions, nas últimas seis partidas ele anotou 5 touchdowns e foi bastante acionado.

Quem sabe no próximo domingo ele não possa brilhar e possa nos ajudar a conquistar mais uma vitória.

 

Palpite do redator:

 

Vikings 27 x 17 Lions

 

 

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Redator VikingsFA: Gabriel Brandino  

Tags:

Compartilhar no Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

MVP – Minnesota Vikings Podcast 055 – Vikings NFL Draft 2019

02.05.2019

1/5
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Vikings FA é um site sobre o Minnesota Vikings em português sem qualquer vínculo com o time da NFL. Toda informação contida no site é de responsabilidade do criador deste ou, quando traduzido, do autor de determinado texto e não reflete qualquer opinião do Minnesota Vikings, da NFL, ou qualquer outro time da liga.

© 2017-2019 por VikingsFA.