Preview jogo 11 – Temporada Regular: Minnesota Vikings x Green Bay Packers

Mais um clássico contra o Green Bay Packers, e mais uma vez os Vikings irão jogar em horário nobre, segundo Sunday Night Football seguido da equipe.

E mesmo falando isso semana após semana, a partida deste domingo será decisiva, e sem dúvidas a mais importante disputada não só pelos Vikings, mas por ambas as equipes até o momento na temporada, o time que sair derrotado deste confronto estará muito próximo da eliminação.

Os Vikings foram derrotados no último domingo pelo Chicago Bears, jogando no Soldier Field, e parece mesmo que o bom momento ofensivo da equipe chegou ao fim, já são 7 turnovers nas últimas três partidas disputadas.

O time pagou um alto valor para trazer Kirk Cousins e para renovar com Stefon Diggs, além de contar com Adam Thielen, Dalvin Cook e Kyle Rudolph, o mínimo que se espera desse grupo é o oposto do que está acontecendo no momento.

 

Do outro lado, nosso adversário ainda não sabe o que é vencer fora de casa, foram cinco partidas, e cinco derrotas (o que é ótimo, visto que iremos jogar no U.S Bank Stadium). E diferentemente dos Vikings, a equipe dos Packers começou com bastante otimismo sobre sua defesa, porém, sem muitos motivos, pois nas cinco derrotas que o time sofreu até agora, foram 149 pontos sofridos. Enquanto isso, Aaron Rodgers e Davante Adams mostram ser uma das melhores duplas de QB e WR da liga.

Vale lembrar que nas 3 partidas que Cousins disputou contra os Packers, ele acumulou 1.129 jardas, para 8 touchdows e uma interceptação, com uma rating de 115.3.

E desde a inauguração de nosso novo estádio, ainda não perdemos para a equipe de Winscosin. 

 

 

Sobre o adversário: Green Bay Packers


Os Packers foram fundados em 1919 e é a terceira equipe mais antiga ainda em atividade na NFL, atrás apenas do Chicago Bears e Arizona Cardinals.

 

A equipe foi fundada pelo operário Curly Lambeau e pelo jornalista George Whitney Calhoun, o início da franquia contou com ajuda financeira da empresa Indian Packing Company, o que deu origem ao nome “Packers”.

Eles são a única franquia na NFL sem fins lucrativos, tendo como dona da equipe a própria comunidade, por conta disso a equipe nunca saiu, e provavelmente nunca sairá da cidade de Green Bay, em Winscosin. A ideia surgiu em 1922 quando a equipe estava à beira da falência e os fundadores começaram a vender ações da equipe, sendo aquisitada pela maior parte dos habitantes de Green Bay, hoje a franquia conta com mais ou menos 360 mil “proprietários”.

 

Até o ano de 1965 a equipe havia conquistado 9 títulos de campeão da NFL (1929, 1930, 1931, 1936, 1939, 1944, 1961, 1962, 1965). Após isso, com a junção da AFL e NFL, e a criação do Super Bowl, a equipe venceu por mais 4x (1966, 1967, 1996 e 2010).

Em 1966 e 1967, os Packers venceram o Kansas City Chiefs por 35 a 10, e o Oakland Raiders por 33 a 14, naqueles que seriam o Super Bowl I e II respectivamente. A equipe era comandada pelo lendário QB e MVP de ambas as partidas, Bart Starr.

 

Em 1996 os Packers tinham duas lendas na equipe, o QB Brett Favre, e o defensor Reggie White, e chegaram ao Super Bowl contra o New England Patriots, vencendo por 35 a 21.

A última conquista dos cabeças de queijo foi em 2010, já liderados por Aaron rodgers, quando terminou a temporada como MVP do Super Bowl, conquistando o anel em cima do Pittsburgh Steelers, por 31 a 25.

 

O troféu de campeão do Super Bowl se chama “Vince Lombardi” em homenagem ao icônico treinador dos Packers, que comandava a equipe na conquista dos dois primeiros Super Bowls disputados.

A rivalidade com os Vikings se iniciou em 1961 quando entramos na NFL. Dentre todas as rivalidades dentro da NFC North, Vikings e Packers é a mais disputada em questão de números, e por enquanto os Packers lideram o número de vitórias, são 60 contra 53 dos Vikings, além de 2 empates.

 

Na última década essa rivalidade tem aumentado cada vez mais, e além de ser apenas pela competitividade das equipes (como citado acima), outro fato gerou bastante alvoroço entre as equipes. Em 2008 ela ganhou mais proporção quando Brett Favre, eterno ídolo de Green Bay, veio jogar em Minneapolis, logo após se “aposentar” pela segunda vez, dessa vez quando havia se transferido para o New York Jets.

 

Os estados de Minnesota e Winscosin também são grandes rivais na NCAA entre ambas as universidades, onde se enfrentam desde 1890.

 

 

Match Up do jogo: Kirk Cousins x Aaron Rodgers

 

Esse matchup não é um comparativo entre QB, não mesmo!

Mas o QB que melhor comandar seu ataque, e melhor se portar na partida, conseguirá provavelmente sair com a vitória neste duelo.

Rodgers é um QB que vai pontuar e jogar bem, independentemente da equipe que enfrentar, mas nossa defesa tem o know-how necessário e a experiência para deixar essa tarefa um pouco mais complicada.

Em contrapartida, Cousins que não vem em sua melhor fase, porém, tem muita qualidade, irá enfrentar uma defesa bastante contestada.

A consistência de Rodgers não entra em discussão, o QB não é interceptado desde a semana 4 contra o Buffalo Bills, única vez na temporada, além disso ele já lançou para 19 touchdown e tem um rating de 102.2. E por mais que o rating do jogador seja muito bom, o rating dos QB’s adversários foram melhores, ou então, acima dos 100.0, em todas as derrotas até então.

Cousins lançou para os mesmos 19 touchdowns de Rodgers, mas também acumula 7 interceptações, inclusive sendo interceptado nas três últimas partidas e em momentos chave.

Até a 5° rodada contra o Phildelphia Eagles, Cousins havia lançado para 11 touchdowns e 2 interceptações, com um rating de 104.8, de lá para cá foram 8 touchdowns, 5 interceptações e um rating de 92.2.

 

 

Pontos fortes Packers: Quem apostou em Aaron Rodgers, acertou. Difícil né!

O QB é o responsável por praticamente tudo o que acontece de bom no ataque dos Packers, e mesmo com a possível baixa de Randall Cobb, a equipe ainda tem os perigosos Davante Adams e Jimmy Graham.

Rodgers teve um rating maior que 100.0 em 5 das últimas 6 partidas disputadas, e se continuar jogando neste nível pode sem dúvida nenhuma entrar na discussão para o prêmio de MVP.

No último confronto contra os Vikings, Rodgers lançou para 281 jardas e fez um touchdown, mas foi uma das 4 vezes na temporada que terminou a partida com um rating abaixo de 100.0, na ocasião, 97.4.

A esperança é de que nossa defesa faça a melhor das partidas, e Rodgers não esteja numa tarde muito inspirada.

 

Pontos fracos Packers: Quando se tem Rodgers na equipe, qualquer defeito no elenco pode ser contornado por suas ótimas atuações, e isso vinha acontecendo ano após ano nos Packers, porém, esse ano a coisa mudou.

Rodgers continua fazendo grandes jogos, mas em compensação sua defesa não está no mesmo nível e mesmo o ataque marcando vários pontos, eles estão acabando algumas partidas atrás do placar.

As partidas contestáveis da defesa são várias, eles cederam 27 pontos ou mais, nas 5 das últimas 6 partidas disputadas, e é exatamente isso que Cousins e companhia devem aproveitar.

 

 

Pontos fortes Vikings: Nossa defesa começou titubeando um pouco, mas aos poucos foi engrenando, e hoje voltou a ser uma das melhores da liga.

Semana passada contra os Bears nossa defesa limitou Mitchell Trubisky, que vinha fazendo uma ótima temporada, para apenas 165 jardas, um touchdown e duas interceptações, resultando no pior rating do QB em toda a temporada, 61.9.

Rodgers não é Trubisky, mas nós temos ótimos jogadores, e uma variação de elenco excelente (vide Anthony Harris que entrou no lugar de Andrew Sendejo e realizou as duas interceptações na última partida). A ascensão de nossa defesa é um ponto importantíssimo para a partida, e deixar Rodgers desconfortável no pocket é o caminho para nossa vitória.

 

Pontos fracos Vikings: Nosso ataque que diversas vezes foi citado aqui mesmo como ponto positivo, hoje é sem dúvidas a principal preocupação de nós torcedores.

O mal início da defesa foi contornado, o problema com os times especiais aparentemente foi resolvido, a preocupação com a linha ofensiva está menos pior, mas a decepção com nosso ataque e como eles vêm cuidando da bola oval, isso não tem como não citar.

Como mencionado acima, foram 7 turnovers nas últimas 3 partidas, turnovers decisivos e que resultaram na derrota em duas dessas partidas (contra Saints e Bears). Jogadores chave não estão correspondendo, e essa é a hora da equipe reagir.

Dalvin Cook fez uma excelente corrida para 70 jardas contra o Detroit Lions, mas na partida seguinte, foram 9 tentativas para pífias 12 jardas, e o ataque terrestre dessa vez não funcionou nem com Latavius Murray, foram 4 tentativas para apenas 5 jardas. O ataque aéreo também não foi muito melhor, Cousins com um rating de 76.5 fez sua pior partida com a camisa roxa, Cousins aliás, não parece gostar muito de jogar para o grande público, nas partidas de horário nobre ele acumula apenas 4 vitórias, e 12 derrotas.

Sabemos que talento nosso ataque tem, precisamos saber se eles vão voltar a jogar o que sabem agora, ou será tarde demais.

 

Jogadores contundidos:

 

Green Bay Packers:
Out (Fora): Mike Daniels (DT), Nick Perry (LB)
Doubtful (Duvidoso): -
Questionable (Questionável): Jimmy Graham (TE), Bashaud Breeland (DB), Kevin King (DB), Kentrell Brice (DB), Randall Cobb (WR), Tra Carson (RB), Lucas Patrick (OG)

 

Minnesota Vikings:
Out (Fora): Chad Beebe (WR), Ben Gedeon (LB), David Morgan (TE), Andrew Sendejo (S)
Doubtful (Duvidoso): Anthony Barr (LB), Tom Compton (OG), Mike Remmers (OT)
Questionable (Questionável): Everson Griffen (DE)

 

 

Para ficar de olho: 

 

Kirk Cousins – Cousins vivencia sua pior fase desde que chegou em Minneapolis, porém, ele não é um jogador novato e sem qualidade. Pelo contrário, é bastante experiente e todos sabem de suas qualidades. Ele é bastante conhecido dentro da liga por sua competitividade, portanto, mais do que as cobranças da torcida, ele mesmo deve estar se cobrando diariamente e esperamos poder ter um domingo diferente para o camisa 8.

 

Everson Griffen - Desde que Griffen voltou para a equipe ele não obteve muito destaque, mas a liderança do jogador é essencial.

E Griffen gosta bastante de enfrentar os cabeças de queijo, em 18 partidas ele acumulou 43 tackles, 11.5 sacks, 14 tackles for loss e 2 fumbles forçados.

São ótimos números e que seriam muito bem-vindos se ele continuasse com essa média.

 

Harrison Smith – Assim como Griffen, Smith gosta muito de enfrentar os Packers, e em 12 partidas ele acumula 80 tackles, 2 sacks, 7 tackles for loss, 8 passes defendidos e 5 interceptações.

E como já citamos anteriormente em outros previews, Smith é um dos jogadores mais importantes dessa equipe, é o cérebro defensivo, e este jogador foi decisivo pela melhora da defesa como um todo.

 

Palpite do redator:

 

Vikings 27 x 17 Packers

 

 

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Redator VikingsFA: Gabriel Brandino  

Tags:

Compartilhar no Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

MVP – Minnesota Vikings Podcast 055 – Vikings NFL Draft 2019

02.05.2019

1/5
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Vikings FA é um site sobre o Minnesota Vikings em português sem qualquer vínculo com o time da NFL. Toda informação contida no site é de responsabilidade do criador deste ou, quando traduzido, do autor de determinado texto e não reflete qualquer opinião do Minnesota Vikings, da NFL, ou qualquer outro time da liga.

© 2017-2019 por VikingsFA.